Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vítimas e algozes.

por Fernando Lopes, 27 Abr 16

Durante o almoço conversava com um amigo sobre um pequeno contratempo amoroso que lhe acontecera. Ao contrário do que muitas mulheres pensam também somos sensíveis a pequenos grandes sinais, a um leve toque de pele, sorriso condescendente, piscadela de olho marota. É um mito que apenas os homens pensam frequentemente em sexo, as mulheres fazem-no tanto quanto nós, não valorizamos exclusivamente sexo, existe pelo meio um mundo de pequenas sensibilidades e ternuras que valem quase tanto quanto sexo propriamente dito. Recordei-lhe que nestas coisas do amor, todos nós em algum momento, fomos vítimas ou algozes. Entregamo-nos à mulher amada para uns minutos de céu, sabendo que logo de seguida vem a inevitável queda, passamos mais tempo combalidos no chão, a lamber feridas, que no Olimpo. É assim o amor, mais sofrimento que prazer, mais angústia que alegria. Mas quando estamos bem lá em cima, admirando o mundo de outra perspectiva, sabemos bem que aqueles segundos valem todas as quedas que se seguirão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

20 comentários

De Radar a 05.05.2016 às 11:37

É bem verdade! 
Mas não fala do mais importante para um homem.
Para um homem o importante é o caminho não o "destino" , aquilo que fica para sempre, é o caminho (e isso tem muito a ver com o texto) e não propriamente o destino.
Se o caminho valer a pena chegar ao destino é uma experiência para a vida, se o caminho forem dois passos o destino é algo de que a gente se arrepende sempre !
A imaginação de um homem é 1000000 vezes mais poderosa que a realidade, se a mulher fizer o homem puxar pela sua imaginação (o caminho é longo e duro mas vale a pena, todas as lágrimas suores e calos são para a vida... ).
Se o caminho termina logo ali .... não há história ... é demasiado fácil ... teve a sua piada mas esquece-se no dia seguinte.
Por muito estranho que possa parecer, quanto mais uma mulher fizer penar um homem, mais valor o homem lhe dá ... ! 
(sem exageros extremos ... claro)
 (... Um leve toque de pele, sorriso condescendente, piscadela de olho marota... são o caminho certo, se forem entremeados com outros que signifiquem exactamente o oposto ....)
É assim a vida ...!

...
E sexo ... é como o " vinho do porto", é preciso dar tempo ao tempo. Se for bebido logo, não presta, melhor se se esperar um tempito para amadurecer (e deixar o desejo crescer)...
   




  
 

De Fernando Lopes a 05.05.2016 às 19:01

Esse é um tipo de jogo feminino em que não alinho, o do «toca e foge». Talvez porque sou um simplório, as coisas têm de ser claras, clarinhas, que não tenho paciência para jogos. Mas isso sou eu, eventualmente haverá quem goste. 

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback