Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

UBER que vos pariu!

por Fernando Lopes, 17 Set 15

taxistas.jpg

 

Uma parte dos taxistas não pode ser classificada de outro modo que não de energúmenos. Foram bonitas as fotografias de colegas à estalada, grevistas a atirarem ovos aos que não fizeram greve. Tipifica a classe. Ainda há pouco queriam uma tarifa fixa para quem saísse do Aeroporto de Lisboa. Entendemos o porquê. Caros taxistas, tenho dificuldade em aturar a rádio Festival, o cheiro a cebola de alguns, o tema omnipresente da bola ou conversa sobre os políticos. Tenho pouca pachorra para o braço de fora, o rosário no retrovisor, os bancos emporcalhados,  os vidros que não descem, o ar condicionado desligado para poupar no gasóleo que EU estou a pagar. Ainda menos para as manobras radicais e manhosas que fazem frequentemente.

 

Os taxistas portugueses perdem em comparação com a UBER porque os carros são velhos, os percursos nem sempre os mais curtos, os taxistas raramente um exemplo de urbanidade e cortesia. Falta à esmagadora maioria da classe umas aulas de civismo, até de línguas. Num mercado global, a qualidade conta, e a UBER é muito melhor que os táxis vulgares. O vosso argumento das licenças é legítimo, mas meus caros, a maioria de vós foge de passar uma facturinha como o diabo da cruz. Se analisarmos as coisas, temo que a UBER dê mais receitas para o estado, uma vez que todas as viagens geram automaticamente factura. Portanto, até o vosso argumento do preço da licença cai pela base uma vez que a esmagadora maioria das vossas viagens não pagam os respectivos impostos. Chama-se a isso dar com uma mão e tirar com a outra

.

A greve foi prova da vossa estupidez, acabaram por fazer enorme publicidade à concorrência. E quem experimentou, dificilmente volta.

 

Quando passarem factura sem ser a pedido, lavarem os carros, se preocuparem com o conforto do passageiro e não se comportarem como estando na vossa sala de estar, talvez volte a usar táxis. Até lá, vou evitar-vos sempre que possível.

Autoria e outros dados (tags, etc)

1 comentário

De Suricate a 18.09.2015 às 09:49

Sou uma "priveligiada" conheço a classe de muito perto...
Feios, porcos e maus é um título que lhes assenta perfeito, acrescentaria apenas ladrões. Além de os que conheço serem useiros e vezeiros a roubar turistas, assisto diáriamente ao desplante que têm de entrar num determinado local público para aí roubarem: Papel higiénico, toalhetes das mãos e sabonete liquido (e quando não vai com jeito, vai à força...arromba-se a saboneteira!) DIÁRIAMENTE! Mas é claro, como o fazem dentro das casas de banho e aí ainda não há câmaras, não há provas. Os táxis que conheço andam sempre a brilhar, mas não é com os produtos que trazem de casa é com aquilo que roubam. Além disso são porcos: Ir à casa de banho para roubar é fixe, mas se for para fazer chichi dá muito trabalho, é muito mais fácil encostar a pilinha a uma coluna e fazer como os cães, ou nas escadas de acesso aos parques de estacionamento, fica mais perto!
Este governo preocupou-se tanto em dar cabo de tascas e tasquinhas, pequenos restaurantes familiares, o que eu lamento profundamente, mas tenho pena que não tenha tido a mesma ideia de génio para fazer desaparecer esta classe de gente nojenta e mal formada que não merece lidar com público, por não o saber respeitar.

Comentar:

De
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.
Comentário
Máximo de 4300 caracteres

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

subscrever feeds