Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Portugal, campeão de divórcios.

por Fernando Lopes, 20 Out 16

Scan0003.jpgInfografia da «Visão»

 

Leio a «Visão» de hoje e entre muitos outros dados estatísticos descubro que Portugal é campeão de divórcios, 70% dos casamentos terminaram assim. Não me interessa julgar, as estatísticas são o que são, e neste caso surpreendentes, pois Portugal encontra-se à frente de países mais liberais nos costumes como a Finlândia (55%), Suécia e Holanda (52%). Talvez os portugueses se divorciem mais porque casam mais. Provavelmente jogam as fichas todas numa relação que depois caduca.

 

Num plano pessoal diria que sou de relações estáveis. Mulheres que permanecem mais que uma memória foram apenas três, uma ainda antes de entrar para a faculdade e que durou um ano, um longo relacionamento de nove anos que expirou mais por circunstâncias adversas que por outra coisa, e este casamento que já resiste há 23. Entre os meus amigos há de tudo. Quem tenha relações de quase quatro décadas (casaram com a namoradinha(o) de liceu), quem tenha uma vida afectiva mais agitada. Amo-os a todos, o seu estado civil, uma irrelevância.

 

Não deixo, no entanto, de pensar que sou um tipo estranho, de relações duradouras, pouco dado a oscilações amorosas. É mau, é bom? É só o meu jeito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

4 comentários

De Lucília a 21.10.2016 às 22:51

A divina natureza pregou.nos uma grande partida.Depois andamos para aqui a filosofar a questionar bla bla bla bla.Doidinhos, sem tempo para criar os filhos, os filhos com toda a complexidade do crescimento pai equilibrado e " pai" e mãe equilibrada e "mãe".E que a mãe ame muito o pai e o pai a mãe.uns ficam.se pelo caminho e, mesmo assim alguns continuam "pais" e "mães" .e depois tá tudo errado tudo errado-horas no trabalho horas de trabalho .ai mundo mundo -fica.te cada vez pior(diz a minha vizinha dos seus 90 anos

De Fernando Lopes a 22.10.2016 às 10:41

Não tenho dúvidas que o ritmo de vida, as questões profissionais, também influenciam as relações. Sei bem disso, tenho uma cá em casa que trabalha 12 a 14 horas por dia. Digo por brincadeira que tenho uma mulher que vem dormir cá a casa. :)

De Lucília a 22.10.2016 às 20:50

Tive fases assim, dois filhos pequenos -uma tenda

De Fernando Lopes a 22.10.2016 às 21:18

Se por um lado é muito positivo - as mulheres têm actividade profissional, auto-estima, carreira - por outro é difícil gerir uma família sem supervisão feminina. É um mundo novo, a que todos nos estamos a adaptar e que muda a uma velocidade alucinante.

Comentar:

De
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.
Comentário
Máximo de 4300 caracteres

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...

  • Anónimo

    Não volta?!Vá lá...Escrever faz bem...e ler também...

subscrever feeds