Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Incontinente afectivo.

por Fernando Lopes, 30 Abr 16

Fui acusado pela minha mulher de ser um incontinente afectivo. O formalismo, a guarda dos afectos, é cena que a mim não me assiste. Da mesma forma que liberto vernáculo a ritmo de samba, também o faço com beijos e abraços entre amigos. Heterossexual desde sempre, acho o mais nauseabundo dos pipis infinitamente mais belo que helénica pilinha. Os amigos e amigas nunca manifestaram desconforto por lhes pregar bejufa ou carinho. Aviso assim machos e fêmeas que comigo convivem: somos amigos, se a expressão física do meu carinho vos for desconfortável nada mais têm que fazer senão alertar-me para o facto. Serei sério, contido e asséptico como desejam, ou pelo menos como a minha mulher desejaria que fosse. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

13 comentários

De Fernando Lopes a 02.05.2016 às 18:51

Parece descontextualizado, mas foi-me expresso que as minhas «manifestações afectivas» podiam ser particularmente constrangedoras para os meus amigos machos. Como se as opções sexuais dos meus amigos me interessassem para alguma coisa... :)

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback