Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fui eu mesmo que fiz.

por Fernando Lopes, 18 Nov 15

Ter sido pai aos 42 é gerador de equívocos. Embora a maternidade e paternidade tardia se tornem cada vez mais frequentes, tenho de aceitar que um tipo grisalho – para dizer a verdade com mais brancas que outra coisa – passear-se com uma criança pequena pela mão não é vulgar. Por mais que uma vez me tomaram por avô da minha filha. Não lhes levo a mal, o normal entre os meus amigos é terem filhos na faculdade.

 

Uma vez, numa confeitaria, sentamo-nos, pedi um café e um croissant para mim e interroguei a cria. O empregado era um jovem, nos seus vinte e poucos. A filha apenas quis húngaros.

 

-  A sua neta não vai querer beber nada?

 

- Fui eu mesmo que fiz, não é neta, é filha.

 

Valeu pela prontidão da resposta e por ver o rapaz ruborescer e desfazer-se em desculpas o tempo todo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

2 comentários

De Sandra a 20.11.2015 às 11:23

Em criança era "bicho do mato" preferia ficar em casa com a minha avó durante as várias saídas dos meus pais, quer fossem para idas às compras, ou para festas da empresa onde o meu pai trabalhava, etc... Os meus pais levavam os restantes 4 filhos para todo o lado. Quando comecei a ficar mais sociável, já no princípio da adolescência, habituei-me a ouvir, quando saía com os meus pais, "Esta é a vossa netinha mais velha??" Bem, a minha mãe ficava furiosa!!! Eram as únicas vezes que eu me apercebia da ironia na voz dela!! Logo ela, que agora já com 75 anos, cheia de problemas de saúde, pensam que ela tem apenas 60!! :)

De Fernando Lopes a 20.11.2015 às 19:19

Não me faz mossa, para uma mulher pode ser mais melindroso. De qualquer forma a sua mãe está aí para as curvas, isso é que interessa. ;)

Comentar:

De
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.
Comentário
Máximo de 4300 caracteres

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

subscrever feeds