Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Das maravilhas do «outsourcing».

por Fernando Lopes, 25 Jul 17

Um tipo bateu no carro da minha mulher, que estava estacionado. Enviei a participação de sinistro para o primeiro email que me apareceu daquela companhia. Como uma semana passada não obtive resposta, liguei para um call center. Lá explicaram-me que apesar de todas as companhias pertencerem ao mesmo grupo segurador, deveria enviar para a companhia A e não para a companhia-mãe. Assim fiz. Oito dias depois recebo um email do remetente original a dizer, não é connosco é com B. Sem indicação do endereço para o qual enviar. Nada. Insisti para ver se a sra. fazia forward para o endereço correcto. Recebo mais um email lacónico a dizer «Esta mailbox é de X, envie para a companhia Y». Endereço, de grilo. Percebo que o email é de uma outsourcer. Era mesmo. Quer a jovem que os clientes entendam por si a relação que existe entre as várias seguradoras do grupo. Um atendimento deste tipo é assassino para a reputação, no entanto muitas das grandes empresas portuguesas continuam a externalizar serviços a empregados de ninguém, a quem pagam patacos. A poupança em custos com pessoal é imediata, os danos na imagem só serão visíveis no longo prazo. Continuem o bom trabalho, e já agora, citando Saramago, externalizem também a puta que vos pariu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

4 comentários

De Alice Alfazema a 25.07.2017 às 11:58

Num dia destes uma colega ligou para um hospital para desmarcar a consulta e voltar a marcar numa outra data, sabes o que lhe responderam do outro lado, não posso fazer isso o número do qual me está a ligar não é o mesmo que está na ficha, dias depois foi ao hospital e lá disseram-lhe que esse atendimento telefónico é feito em "nuvem" e de lá é reencaminhado para o hospital, resumindo estamos longe do mundo que conhecemos e cada vez mais à beira da loucura. 

De Fernando Lopes a 25.07.2017 às 12:08

Os americanos têm uma frase muito boa: «Quem paga amendoins recebe macacos». Não se pode pedir a quem está a ganhar salário mínimo, sem vínculo ou futuro, o empenhamento e empatia com o cliente de um profissional. Uma gestão focada apenas nos custos terá o seu impacto no longo prazo, mas isso os nossos «gestores» não querem ver.

De alexandra g. a 26.07.2017 às 00:19

Querido Ferdinand,


eu jamais admitiria que tamanha situação fosse resolvida pelo meu marido (tanto evito como enfrento batalhas: sozinha.
:)

De Fernando Lopes a 26.07.2017 às 00:39

Tenho mesmo de ser eu, por uma questão de preço sou o titular do seguro. 

Comentar:

De
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.
Comentário
Máximo de 4300 caracteres

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...

  • Anónimo

    Não volta?!Vá lá...Escrever faz bem...e ler também...

  • Anónimo

    Que será feito do gerente desta coisa?Filipe em es...

subscrever feeds