Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A instabilidade como fonte de equilíbrio.

por Fernando Lopes, 27 Out 15

Sou por natureza um tipo inseguro. Metem-me medo as relações amorosas consideradas como inabaláveis. Casado há 23 anos, os braços invisíveis que suportam este longuíssimo afecto tremem mais que ramo de árvore em dia de ventania. Nada é certo na vida e em especial no amor. Não estou nada seguro que a minha mulher se não possa apaixonar por outro ou vice-versa. Os laços que nos unem são como que tecidos por uma aranha; suficientemente fortes para suportar o estrebucho agonizante de uma mosca, flexíveis o bastante para suportarem gotas de chuva, frágeis quanto baste para se romperem quando uma folha choca contra ela. Nada é certo, e talvez seja esse frágil equilíbrio tecido a quatro mãos a razão por que nos mantemos juntos. Personalidades opostas, visões do mundo diferenciadas, sentires quase sempre divergentes. Um antagonismo transformado em relação. Que no entanto, contra todas as expectativas, resiste.

Autoria e outros dados (tags, etc)

2 comentários

De Genny a 28.10.2015 às 10:17

"Que no entanto, contra todas as expectativas, resiste."

Bom dia, Fernando! Image

De Fernando Lopes a 28.10.2015 às 12:48

Verdade, Genny. Nunca, ninguém, achou que fosse durar tanto tempo.

Comentar:

De
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.
Comentário
Máximo de 4300 caracteres

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

subscrever feeds