Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Instantâneo.

por Fernando Lopes, 1 Jan 14

Rotunda da Boavista, hora de almoço. Um velho sem-abrigo, gorro sobredimensionado, ar franzino e longas barbas, dentes amarelecidos pela puta da vida. Está sujo de miséria, desleixo, má sorte. Todos os males lhe abraçaram os ossos, e no entanto, sorri. Um sorriso quase alegre, quase infantil. A seu lado um velho carrinho de bebé, dois pequenos sacos de plástico, tudo o que suponho serem os seus pertences. Dispôs no chão uma manta amarela onde brincam dois cães de pequeno porte. Enquanto os canitos se mordiscam numa brincadeira inconsequente, fala-lhes com ternura, afaga-os. Paro dois ou três segundos e meto a mão ao bolso para tirar o telemóvel e fotografar. Vistos de costas, são um postal ao afecto. Impossível violar este momento só deles. Em vez disso escrevi este instantâneo para arquivar no álbum da memória.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

1 comentário

De golimix a 03.01.2014 às 14:44

Li há uns dias uma reportagem sobre o drama destes sem abrigo que não querem abandonar os seus animais e não há resposta para abrigá-los a eles e aos únicos que lhes dão alento.

Comentar:

De
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.
Comentário
Máximo de 4300 caracteres

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

subscrever feeds