Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

300 mil

por Fernando Lopes, 14 Nov 11


Não posso deixar de ficar siderado com a grandeza dos números.

Autoria e outros dados (tags, etc)

1 comentário

De MManel a 15.11.2011 às 12:40

Alô!

As chamadas dívidas soberanas já têm vários séculos de existência, e Portugal já entrou, segundo consta, duas vezes em incumprimento.
No princípio da sua existência, eram os monarcas que inchavam os despesas e os cofres não eram suficientes para a corte e os esfolados do costume, ou seja, o povo já não tinha mais como pagar impostos.
Em seguida a burguesia fartou-se de ser o enche bolsos e lá vieram as revoluções contra a aristocracia, mas o vício continuou.
Agora, conclui-se que já não é seguro apostar em dívidas dos Estados, quer sejam emitidos pelo governo central (Europa) ou governo local (EUA).
Conclusão: toca a cortar no despesismo - aqui só podemos ansiar que cortem no que é de cortar, ou seja, que não estejamos a poupar na farinha para gastar no farelo, como é tradicional.

Pelo que conheço de várias realidades cá no n/ jardim, esta forma de estar é o prato do dia, quer no setor privado como no público.

Não nos iludamos: esta chachada de situação económica que vivemos e viveremos nos próximos tempos é o fruto de contínuas péssimas gestões, que em alguns casos até não encheram os bolsos de ninguém.

É incompetência, preguiça, e falta de visão pura. Infelizmente.



Bj

Comentar:

De
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.
Comentário
Máximo de 4300 caracteres

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...

subscrever feeds